GPFOR Modelismo

Trabalhos e fotos do autor sobre modelismo

Alex Kontiveis – Handley Page “Hampden” – Fonderie Miniature 1/48:

1 de Fevereiro de 2018 by Iguaracy Lavôr

*Texto, fotos e trabalho de arquivo do autor Alex Kontiveis.

Handley Page “Hampden” – Fonderie Miniature 1/48:

HISTÓRIA:

The Handley Page HP.52 Hampden era um bombardeiro médio britânico de dois motores da Força Aérea Real servindo na Segunda Guerra Mundial. Com Whitley e Wellington, o Hampden suportou o peso da guerra de bombardeios precoce sobre a Europa, participando da primeira incursão da noite em Berlim e da primeira invasão de 1.000 atóis em Colônia. O mais novo dos três bombardeiros médios, o Hampden, conhecido como “Flying Suitcase” por causa de suas condições de tripulação apertada, ainda não era adequado à guerra aérea moderna e, depois de operar principalmente à noite, foi retirado do serviço do Bomber Command no final 1942.

No início da guerra, um ano depois da entrada em serviço, os Hampden equiparam tensquadrons, dos quais seis estavam operacionais. Após grandes perdas de luz do dia, Hampdens foi usado nas operações noturnas a partir de dezembro de 1939 em diante. Isso incluiu atacar bases de hidroaviões, folhetos e minelaying, bem como bombardeios, uma vez que as forças alemãs atacaram Begium e Holland. As operações de luz do dia foram tentadas mais uma vez durante a batalha pela Noruega, mas não foram mais bem sucedidas do que antes. O Hampden foi retirado do papel de bombardeio em setembro de 1942, tendo participado das 1.000 incursões de bombardeiros no início desse ano, mas continuou como um bombardeiro torpedo com o Comando Costeiro até dezembro de 1943. Durante o curso de sua carreira, duas tripulações Hampden ganharam V.C.’s.

Enquanto o Hampden era alimentado por motores radiais de Bristol Pegasus, uma variante de curta duração conhecida como Handley Page Hereford, em vez disso, apresentava em linha Napier Daggers.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O KIT: Handley Page “Hampden”, fabricante FM -6056-, escala 1/48.

CONSTRUÇÃO:

Oi pessoal.

Esta é a história do meu Hampden.

PREPARAÇÃO:

O meu primeiro pensamento foi fazer as partes claras corretas, pois tudo ia ser substituído. Eu usei Milliput para criar um novo, assumindo o papel de novos moldes para melhores e claras peças aspiradas. Aqui está o meu procedimento em imagens, passo a passo.

Em seguida, vem a correção na simetria da fuselagem. Na medida em que você pode ver abaixo, nada se encaixa bem… Muito corte e lixar seguindo os novos padrões.

FUSELAGEM INTERIOR:

Minha pesquisa de dados em imagens, ilustrações e informações técnicas duram mais de 4 meses. Agradeço ao museu da RAF, colecionadores particulares e muitos arquivos na web, consegui coletar todas as informações que eu precisava para o meu modelo. Então eu construí o interior seguindo minhas informações. Tudo o que você pode ver abaixo tentei representar o interior exato estruturado o melhor que pude, usando peças de metal feitas à mão em latão e material verde. Então, uma fina camada de primário Mr.Surfacer foi um passo necessário para o resultado final.

No entanto, um bom amigo meu e modelo mestre mundial, o Sr. Tsonos Megas, detectado em um erro … em relação às paredes laterais da fuselagem traseira. Eu fiquei entediado para representar o espaço vazio no ponto em que a asa se junta à fuselagem … Ele me disse que um trabalho tão bom, seria muito triste deixar isso impreciso. Sem pensar nisso, tornei-me uma sequela de Jack the Ripper… Dremel mais uma vez.

Os interiores estavam inicialmente em modelos foscos de cinza médio, mas os modelos elétricos elétricos ingleses (começando com P2062) estavam em luz verde de cabine. Meu modelo, pertence ao lote E.E (JS-L, P-5304) e representa um formador a/c.

Então, antes de começar a pintar o interior, dê uma olhada no seu S/N e escolha a cor certa.

Após o trabalho de pintura, adicionei tudo o que existe no interior de um Hampden. Todos eles arranhados, construídos, é claro. Novo painel de instrumentos, assento piloto, navegadores e visor de armas CSBS do bombardeiro e outros itens adicionais, aparelhos de artilheiro e radiador, Elsan Toilet, controles e alavancas. Muitas coisas em uma área muito pequena. Os Vickers vêm dos modelos GasPatch. Qualidade excelente.

MOTOR:

Para os meus motores, usei o Bristol Pegasus da CMK, modificado e melhorado. Eu adicionei o carburador, regulador de entrada de ar, entrada de ar principal, aceleradores de combustível, distribuidor, etc. O motor foi pintado com ALCLAD II vários sombreados de cores metálicas. Lavado com munição por óleos Mig.

CARLINGA DO MOTOR – TREM DE POUSO:

As carlingas do motor novas e precisas foram feitas a partir de recipientes de cores AKAN vazias. Nas fotos abaixo, você pode ver a diferença entre o FM e o meu. Para o anel do coletor de exaustão, usei um par de resina a partir do Wellington. Os exaustores vêm do Quickboost.

Em seguida, vieram os trens de pouso. Tanto quanto você pode ver, tudo foi feito com tubos de latão para representar o sistema de trem de pouso com precisão.

As asas e os poços das rodas foram fortemente melhorados, corrigindo as pontas das asas de acordo com as reais.

SUPERFÍCIE:

A superfície do kit exterior não era adequada para mim. Então, eu segui minha maneira usual de fazer uma nova superfície com folha de alumínio, um método que eu comecei a usar a partir de 2006. Da mesma forma que eu fiz em Lancaster e Whitley. O alumínio obtém a forma adequada por aquecimento a 250°C. Este procedimento não é fácil e precisa de muitas ferramentas flexíveis e paciência.

O meu pior medo durante esta compilação foi o ajuste das minhas novas partes claras. Se meus cálculos no começo estavam errados, todo o meu trabalho durante esses 3 anos vai para o inferno… Graças a Deus, tudo correu bem e o modelo teve sua forma final.

PINTURA E MARCAÇÕES:

Para o meu trabalho de pintura usei Xtracolors de esmalte. As marcas e os besantes são pintados com máscaras caseiras. Neste ponto, devo dizer que não segui o método da nova geração. Sem pré-sombreamento, nem mesmo estilo de intemperismo ou efeitos de alto contraste. Técnicas simples de meteorização da velha escola. Munição de óleos Mig usados.

Desta vez, minha intempérie não era pesada. Eu estudei muitas fotos do Hampden atrasado e eu decidi trabalhar em um nível leve de meteorização após minha documentação. Não esqueça que meu Hampden diz respeito a um treinamento a/c….

IMAGENS ADICIONAIS…

CONCLUSÃO:

Este modelo é o meu último na escala 1/48. O FIM da minha era de modelagem nesta escala. Nenhum quarto vazio nas minhas vitrines…

As perguntas agora… Estou satisfeito o suficiente com o resultado final? Eu poderia ter feito um trabalho melhor? Eu me arrependo? A minha resposta é que esta compilação foi muito difícil. Meu Lancaster era um brinquedo em comparação com o trabalho de Hampden. Eu tive que enfrentar muitas armadilhas e grandes modificações que não me ajudaram a terminar com prazer. Eu pensei muitas vezes para parar o projeto….

Finalmente, isso não aconteceu. Após 3 anos de trabalho (não continuamente), o modelo está concluído. Sim, talvez eu poderia ter feito um melhor trabalho, mas isso é suficiente para mim.

Obrigado por ler o meu artigo.

Cumprimentos

Alex Kontiveis.

Referências sugeridas:

1) Profile No. 58.

2) Scale Models International September 1986 (article with plans and colour side views).

3) Air International November 1984 (Vol.27 No.5 – Warbirds article with cutaway).

4) Air Enthusiast 14 (article on operations with cutaway).

5) Air Enthusiast September 1971 (Yol.1 No.4 – Viewed from the Cockpit article with photo of

the pilots cockpit).

6) Aviation News Vol.6 No.9 (Warpaint – plans and side view drawings)

7) Scale Aircraft Modelling February 1987 (Vol.9 No.5 – don’t be fooled by their top views,

they are both Scheme ‘B’ in spite of the captions !).

8) The Hampden File by Harry Moyle (published by Air-Britain).

9) War in The Air – Issue 3, August 1989 (two cutaways).Forgotten Bombers of the RAF by

Ken Wixey (published by Arms and Armour).

10) Hampden Special by Chaz Bowyer (published by Ian Allan).

11) Hampden Squadrons in Focus by Mark Postlethwaite (published by Red Kite)

12) Hendon Museum.

13) Web reasearch

14) Private collectors and enthousiasts. 

*Tradução literal de arquivo do autor Iguaracy Lavôr.